Avançar para o conteúdo

Câmara de Lisboa convida-te a plantar árvores na cidade até 2022. Primeiro evento é dia 9 de Outubro

“Plante a sua árvore em Lisboa” é uma iniciativa que decorrerá ao longo de vários fins-de-semana até Março de 2022. Existirão diversas plantações pela cidade com inscrição gratuita.

Quinta das Conchas (fotografia de Mário Rui André/Lisboa Para Pessoas)

É inserido no projecto Life Lungs, co-financiado pela União Europeia, que a Câmara Municipal de Lisboa está a lançar o programa “Plante a sua árvore em Lisboa”, convidando todas as pessoas que o quiserem fazer a plantar uma árvore num dos jardins da cidade. A iniciativa vai ser organizada aos fins-de-semana, é gratuita mas é precisa inscrição.

O primeiro dia do “Plante a sua árvore em Lisboa” será a um sábado, dia 9 de Outubro. A acção irá decorrer da parte da manhã em três jardins da cidade em simultâneo e envolverá um total de 3 400 plantas, entre árvores e arbustos:

  • Quinta das Conchas (mata + nave central) – 1 000 plantas – 125 vagas;
  • Estabelecimento Prisional de Monsanto (zona envolvente) – 1 500 plantas – 175 vagas;
  • Miradouro do Avião, nos Olivais – 900 plantas – 125 vagas.

As inscrições podem ser feitas gratuitamente para diferentes intervalos horários, entre as 9 e as 12 horas. Devido à pandemia, as vagas são limitadas, pelo que é necessário preencher este formulário, seleccionando o local e o horário onde se quer garantir presença. Sabe mais aqui.

O programa “Plante a sua árvore em Lisboa” irá decorrer até Março de 2022. Destina-se a todas as pessoas que dele queiram fazer parte, sejam residentes ou trabalhadores da cidade, ou estejam a visitá-la. As acções poderão ser eventos familiares, ou seja, poderás levar a tua família ou mesmo uma associação, uma colectividade informal ou a tua empresa.

Até 2024, o projecto Life Lungs prevê plantar um total de 240 mil exemplares arbóreos em Lisboa, entre árvores e arbustos – já plantou cerca de 52 mil. Este projecto tem como objetivo contribuir para tornar a cidade mais resiliente ao aumento da temperatura, atenuar os efeitos de onda de calor e de escassez hídrica que se prevêem de maior frequência no futuro próximo, enquadrando-se nas políticas climáticas adoptadas pelo município de Lisboa.