Os Jardins voltam a Abrir em dois fins-de-semana de Maio

Fotografia cortesia de Aline Macedo/Jardins Abertos

O festival Jardins Abertos vai voltar a abrir as portas e portões de alguns dos mais belos jardins de Lisboa. Durante dois fins-de-semana de Maio (22+23 e 29+30), há jardins para visitar de forma livre ou guiada, e outras actividades como uma oficina sobre multiplicação de plantas e uma exposição sonora e visual sobre a bacia hidrográfica do Tejo.

Desde de 2017 que a equipa Jardins Abertos, em coorganização com a Câmara de Lisboa e com o alto patrocínio do Presidente da República, promove um evento gratuito com visitas a jardins únicos da cidade e várias actividades de jardinagem, sustentabilidade e consciencialização ambiental, estimulando a relação positiva com a natureza em contexto urbano. Este projecto, que começou timidamente como um percurso guiado e 80 participantes, lançou raízes e cresceu, contando mais de 200 mil participações no último ano.

À semelhança de 2020, o Jardins Abertos terá uma programação dividida entre o físico e o digital, mas a maior parte será presencial. O principal foco deste festival são as visitas livres a jardins da cidade, incluindo alguns que costumam estar fechados ao público. A saber:

  • Parque Botânico do Monteiro-Mor
  • Cemitério Britânico (só no sábado 22 e 29)
  • Quinta Conde dos Arcos
  • Estufa Fria de Lisboa
  • Jardins do Museu de Lisboa – Palácio Pimenta
  • Quinta Pedagógica dos Olivais
  • Jardim do Centro Ismaili de Lisboa
  • Jardim da Procuradoria Geral da República — Palácio Palmela
  • Claustro do Convento de Chelas
  • Jardim do Palacete de São Bento (só no domingo 23)
  • Jardim do Tribunal Constitucional (só no sábado 22)
  • Jardim do Palácio Fronteira (só no domingo 30)

Desta lista destacamos dois jardins que são estreia no festival, o Jardim da Procuradoria Geral da República e o Claustro do Convento de Chelas. As visitas livres não precisam de marcação; basta aparecer dentro do horário que podes consultar por aqui. No entanto, os jardins estão sujeitos a diferentes lotações e tempo máximo de permanência, pelo que o acesso será limitado e feito por ordem de chegada.

Na programação do Jardins Secretos existem ainda visitas acompanhadas, isto é, vais poder andar no jardim por ti mas estará alguém contigo:

  • Jardins do CCB
  • Telhado Verde da Fábrica de Água de Alcântara
  • Jardim da Embaixada de Itália (só no sábado 22)
  • Agrofloresta da Bela Flor (só no sábado 22 e 29)
  • Quinta Urbana NÃM (só no domingo 23 e 30)

Já as visitas guiadas contam com a presença de um especialista e exigem inscrição prévia. Estão limitadas a grupos de 5 a 10 pessoas em cada dia de realização, podendo as inscrições ser feitas através do site do evento. Os jardins abertos com visita guiada são:

  • Espaço Biodiversidade de Monsanto ao Nascer do Sol
  • Jardim do Centro Ismaili de Lisboa
  • Jardim da Fundação Calouste Gulbenkian
  • Jardim da Procuradoria Geral da República – Palácio Palmela
  • Parque Botânico do Monteiro-Mor
  • Jardins do Campus da FEDP MAAT e Central
  • Sapal — Estuário do Tejo
  • Fito-ETAR

A programação integra ainda uma caminha do Jardim da Praça D. Luís I (Cais do Sodré) até ao Jardim do Príncipe Real, que permitirá olhar a cidade com outros olhos. Trata-se de um percurso guiado pelo botânico Ivo Meco que permitirá descobrir os pequenos jardins que brotam em recantos dos prédios, nas varandas e nas janelas. Realiza-se nos dois sábados, 22 e 29, duas vezes: uma de manhã e outra à tarde. Os grupos são limitados a 10 pessoas.

Fotografia cortesia de Aline Macedo/Jardins Abertos

Esta edição dos Jardins Abertos vão contar com Jardins Secretos – jardins privados localizados no centro de Lisboa, que serão abertos para visitas guiadas pela mão dos proprietários, e cujas moradas não serão reveladas. Misteriosas e envoltas em secretismo, as inscrições para estas visitas vão abrir numa data aleatória, a ser anunciada através das redes sociais do festival. O ponto de encontro será partilhado com os participantes no e-mail de confirmação.

Depois do sucesso em 2020, a iniciativa Varandas Verdes volta para transformar fachadas de prédios da cidade de Lisboa em verdadeiros jardins. Ainda durante alguns dias está aberta uma chamada para comunidades de vizinhos que partilhem entre si o interesse pela jardinagem e que queiram florir as suas varandas de forma totalmente gratuita, graças ao apoio da Planta Livre.

Em contexto de pandemia Covid-19, o modelo de visita dos jardins e de participação nas actividades irão respeitar todas as normas e orientações de saúde pública, em vigor à data da realização do festival. Porque a Primavera continua, e não queremos que nos passe ao lado, a equipa do Jardins Abertos convida à participação segura de todos. Podes saber tudo sobre o festival no site e acompanhar as novidades (por exemplo, quando abrem as inscrições para os Jardins Secretos ou quando esgotam as visitas guiadas) no Instagram e Facebook.