Um pomar no bairro, porque não? Em Arroios, o Regador plantou um

Junto à Biblioteca de São Lázaro, nasceu um pomar comunitário pela mão da associação Regador, com kiwis, maracujás, frutos silvestres, pera-melão e uvas.

Fotografia de Mário Rui André/Lisboa Para Pessoas

Um pequeno pomar plantado pela comunidade e do qual a comunidade pode usufruir. É assim a mais recente iniciativa do Regador, uma associação entre vizinhos que foi criada em plena pandemia, no ano passado, para fortalecer laços nos bairros, através da criação e manutenção de pequenos jardins e espaços comunitários.

A primeira “construção” do Regador foi um jardim vertical na Penha de França. Foi criado em Setembro de 2020 com a ajuda de várias mãos, num dos dias de A Rua É Sua em frente ao Mercado de Sapadores. O jardim começou por ser de plantas comestíveis; entretanto, os vizinhos juntaram-lhe outras espécies e alguns “quadros vivos”, carregados de catos. Um ano depois, o jardim mantém-se vivo, colorido e de boa saúde.

Do Mercado de Sapadores para as “Escadinhas de Manchester”, em Arroios, o Regador desenvolveu aqui uma oficina de plantação que juntou miúdos e graúdos na decoração das caldeiras das árvores que rodeiam aquela escadaria. Como no primeiro projecto, o objectivo central aqui foi semelhante: criar comunidades locais, colocar os vizinhos a falar e a conhecerem-se uns aos outros, abrandar o ritmo de vida, partilhar histórias, conhecimento e recursos, e valorizar o tempo em família e em comunidade.

Foi com esse espírito que o Regador se moveu para mais uma iniciativa, desta feita em Junho último. Em frente à Biblioteca de São Lázaro, em Arroios, foi construído um pomar comunitário. Plantaram 14 árvores de fruto que irão trepar nas traseiras da escola básica, criando um muro verde que, por um lado, dotará o recreio das crianças de mais privacidade ao recreio e, por outro, dará – esperam os vizinhos – frutos e legumes frescos e saborosos, como kiwis, maracujás, frutos silvestres, pera-melão e uvas.

A associação Regador colabora com as Juntas de Freguesia locais para a criação destes projectos, sejam eles de pomares, jardins ou horta. Cada canteiro e cada estrutura que lhe serve de base são feitos com as mãos das pessoas que integram a Associação e que se juntam às suas iniciativas, procurando reaproveitar material sempre que possível. Por exemplo, os canteiros deste novo pomar resultam do reaproveitamento de paletes.

O Regador mostra que a cidadania pode ser feita com as mãos na terra, que é possível gerar comunidades nos bairros citadinos, aproximar a vizinhança e criar novos laços com as pessoas e com a cidade. Podes seguir os trabalhos da associação aqui.