Covid-19 leva Carris a suspender Carreiras de Bairro. Freguesias procuram alternativas com os próprios meios

Campolide, Misericórdia e Alcântara vão colocar viaturas próprias a fazer o percurso das respectivas Carreiras de Bairro, que seria assegurado pela Carris.

Fotografia de Mário Rui André/Lisboa Para Pessoas

A pandemia de Covid-19, que tem afectado também os colaboradores da Carris, levou – diz a empresa – à suspensão as Carreiras de Bairro durante esta semana, entre dias 10 e 14 de Janeiro. Uma decisão que tem também por base o “prolongamento parcial das medidas de contenção decretadas pelo Governo, nomeadamente o teletrabalho obrigatório”.

Para permitir o “cumprimento escrupuloso do serviço programado”, com o “menor impacto” para os seus clientes, numa altura em que está “previsto incremento de casos positivos, com reflexo entre os colaboradores da Carris”, a operadora rodoviária municipal decidiu suspender uma grande parte das Carreiras de Bairro, assim como suspender o reforço do eléctrico 28E com autocarros mini e adoptar o horário de férias escolares no serviço regular de transporte de passageiros. Por outras palavras, a Carris diz que está a ajustar a oferta à procura esperada, de forma a assegurar que o serviço não falha no que está calendarizado – num contexto em que a empresa lida também com situações internas de infecções de Covid-19 e de isolamentos profiláticos por contacto com casos positivos.

O Observador escreve que, no início da semana passada, o número de casos positivos de Covid-19 representava 8% do efectivo da empresa, não concretizando se essas pessoas desempenhavam funções de motorista ou se, por exemplo, são administrativos. O mesmo jornal refere que “o elevado número trabalhadores com restrições relacionadas com a Covid-19 tem sido uma preocupação dentro da empresa, com a própria administração da Carris a admitir internamente os fortes constrangimentos causados pelo elevado número de funcionários indisponíveis para o trabalho”.

No que às Carreiras de Bairro diz respeito, a empresa irá manter em funcionamento apenas as que têm “um maior nível de procura”, a saber: 26B (Parque das Nações), 29B (Olivais), 34B (Beato), 37B (Penha de França), 40B (Santa Clara), 41B (Santa Clara) e 64B (Campo de Ourique). As restantes Carreiras de Bairro – 10B, 13B, 17B, 19B, 22B, 31B, 32B, 43B, 44B, 46B, 52B, 55B, 58B, 61B, 70B, 73B, 76B, 79B – deverão retomar a normalidade na próxima semana.

As Carreiras de Bairro são linhas que vêm reforçar a mobilidade local, criando complementaridade à rede já operada pela Carris. Estas carreiras geram maior proximidade às infraestruturas mais importantes dos bairros como as escolas, centros de saúde, mercados e outros meios de transporte público. Desde 2017 foram implementadas 25 Carreiras de Bairro, em conjunto com as Juntas de Freguesia.

Juntas de Freguesia contestam suspensão e criticam falta de articulação

Algumas Juntas de Freguesia contestaram, esta segunda-feira, a suspensão das Carreiras de Bairro anunciada na sexta-feira pela Carris. A Junta de Freguesia de São Vicente (PS) disse esperar que a Carreira de Bairro 13B “seja reactivada da forma mais breve possível”, numa publicação em que partilha uma nota da Câmara de Lisboa. A Junta da Ajuda (PS) lamentou ter tomado conhecimento pela comunicação social da suspensão da Carreira de Bairro 76B no seu território. Já a Junta de Freguesia de Alcântara (PS) decidiu, “em virtude da suspensão do serviço da Carreira de Bairro 73B”, reforçar o seu Azulinho, um serviço de transporte próprio, operado com uma carrinha de 14 lugares, entre os bairros do Alvito, Alvito Velho, da Cascalheira e Quinta do Jacinto. “Sempre que se desloque ao Bairro do Cabrinha, o Azulinho fará o desvio de forma a minimizar a ausência da Carreira de Bairro”, refere a Junta de Alcântara.

Um reforço semelhante decidiu fazer a Junta de Freguesia da Misericórdia (PS), que lamentou a suspensão da Carreira de Bairro 22B e do reforço do E28, do qual diz ter tido conhecimento “através da comunicação social e pelas redes sociais”. Em momento algum, esta Junta foi contactada pelas referidas entidades sobre a suspensão do serviço. Se tivesse havido articulação com a Junta de Freguesia, teria sido explicado que a carreira 22B serve o Centro de Saúde da Ribeira Nova e que é um importante meio de transporte para a população idosa. Teria sido ainda explicado que o reforço do 28E é um importante meio de transporte numa zona fustigada pelo turismo e que é utilizado pelos alunos do Liceu Passos Manuel e pela população para se deslocar às compras ou para os seus empregos”, alega.

A Junta da Misericórdia diz que, a partir de terça-feira, dia 11, irá garantir ela própria o circuito da Carreira de Bairro 22B com uma viatura do seu Serviço Porta-a-Porta, que “irá parar nas paragens da referida carreira e tentará cumprir os mesmos horários”.

Também a Junta de Santa Maria Maior (PS) mostrou o seu desagrado com a suspensão do reforço do 28E e da Carreira de Bairro da sua freguesia, a 10B. “A Junta de Freguesia de Santa Maria Maior regista e lamenta que mais uma vez estes novos tempos da Câmara Municipal de Lisboa ignorem as Juntas de Freguesia, não as consultando nem sequer informando, e muito menos procurando em conjunto encontrar soluções mitigadoras de decisões que têm impacto negativo sobre a população, com enfoque nas camadas mais frágeis: crianças e idosos”, escreve no Facebook, sem avançar uma alternativa própria.

A Junta de Freguesia de Campolide (PS) reagiu à suspensão das Carreiras de Bairro, em particular da 61B, que fazia um percurso entre o Bela-Flor e a Serafina. “Numa semana em que reiniciam as aulas, a Empresa Municipal Carris entende ser boa prática suspender uma carreira que é fundamental para tanta gente e que é a única que cobre uma parte significativa da Freguesia, como por exemplo a Bela-Flor”, lê-se num comunicado. “A Junta de Freguesia não foi, em nenhum momento, informada desta intenção, que não pode ser vista de outra forma senão como um ataque à mobilidade de centenas de pessoas que assim se vêem privadas do único transporte público existente na zona onde residem.”

A Junta de Campolide refere que irá assegurar, entre 11 e 14 de Janeiro, “a custos próprios”, o circuito da Carreira de Bairro 61B com com uma viatura de nove lugares, “a maior disponível”, “cumprindo os mesmos horários que a carreira cortada pela Carris”.