Subscreve ou faz donativo. Clica aqui.
Procurar
Fechar esta caixa de pesquisa.

Passe Ferroviário Nacional dá acesso a todos os comboios Regionais por 49 €/mês

O novo passe funciona com carregamentos mensais e pode ser usado em qualquer comboio Regional, independentemente da origem, do destino e do horário.

Fotografia LPP

De Lisboa para o Entroncamento, Santarém ou Tomar. De Lisboa para Abrantes, Castelo Branco, Covilhã ou Guarda. De Lisboa para Torres Vedras, Caldas da Rainha, Leiria ou até Coimbra. De ou para a capital portuguesa, não existem muitos comboios Regionais, mas estas ligações que acabámos de referir vão ficar a 49 €/mês já a partir de 1 de Agosto.

É nesse dia que entra em vigor o Passe Ferroviário Nacional, uma medida que foi proposta por Rui Tavares, deputado do Livre, e aprovada na Assembleia da República no contexto do Orçamento de Estado para 2023. Todavia, o lançamento deste novo passe surge com algum atraso, pois a previsão inicial era Junho. Terá sido uma notícia do ECO no dia 29 desse mês a empurrar a concretização do passe, com o Secretário de Estado do Tesouro a assinar, um dia depois, um despacho que autorizava a CP a implementar o novo produto.

Como ter?

Por 49 €/mês, o Passe Ferroviário Nacional pode ser usado em todos os comboios Regionais da CP, a nível nacional, e permite viajar de forma ilimitada, sem restrições de percurso ou de horário. Este novo passe mensal funciona como qualquer outro passe: é preciso adquirir um Cartão CP (que custa 6 €) e todos os meses fazer o carregamento do passe nesse cartão.

A compra desse cartão e o carregamento mensal do passe só podem ser feitos presencialmente numa bilheteira CP. Em relação aos carregamentos, podes fazê-los a partir do dia 21 do mês anterior. Assim, para utilizares este novo passe em Agosto, poderás fazer o carregamento a partir do dia 21 de Julho. Se não tens um Cartão CP e quiseres viajar logo no dia 1 de Agosto, será melhor tratar já desse cartão pois pode demorar alguns dias.

Onde usar?

A partir de Lisboa, o Passe Ferroviário Nacional vai permitir-te essencialmente três percursos:

  • Ramal de Tomar: Santa Apolónia > Oriente > Santa Iria da Azóia > Vila Franca de Xira > Azambuja > Santarém > Entroncamento > Tomar
  • Linha do Oeste: Lisboa [podes apanhar em Santa Apolónia, Rossio ou Oriente, dependendo do horário] > Meleças > Torres Vedras > Caldas da Rainha > Leiria > Coimbra
  • Linha da Beira Baixa: Santa Apolónia > Oriente > Santarém > Entroncamento > Abrantes > Vila Velha de Ródão > Castelo Branco > Fundão > Covilhã > Belmonte > Sabugal > Guarda
Fotografia LPP

Fora de Lisboa, há mais serviços Regionais a descobrir:

  • do Entroncamento, é possível ir para Portalegre, Elvas ou mesmo Badajoz, já em Espanha;
  • de Coimbra, tens comboios Regionais para a Covilhã, Guarda, Entroncamento e Aveiro. Os comboios de Coimbra para a Figueira da Foz são serviço Urbano, apesar de as composições e os horários serem de serviços semelhantes ao Regional, pelo que estão excluídos;
  • há um Regional de cinco horas por dia entre Lisboa e Porto, e existem seis ligações diárias de Regional entre Lisboa e Coimbra, com as viagens a durarem pouco mais que 3h30;
  • toda a Linha do Algarve é serviço Regional, tal como a Linha do Vouga;
  • na Linha do Douro, existem cinco comboios Regional por dia entre o Porto e a Régua, e, na Linha do Minho, há oito Regionais diários entre o Porto e Valença, passando por Famalicão, Barcelos, Caminha e Vila Nova de Cerveira.

Mais info

O Passe Ferroviário Nacional é, para o Governo de António Costa, uma “uma aposta na mobilidade sustentável e num país mais coeso, verde e conectado”. Para o Livre, que avançou com a ideia em primeiro lugar, é “um importante passo para que a mobilidade mais ecológica seja uma alternativa mais barata em tempos de crise económica e ambiental”.

Outras notas importantes sobre esta medida:

  • o Passe Ferroviário Nacional apenas permite viajar em comboios Regionais (R). Não é válido em nenhum outro serviço: Alfa Pendular (AP), Intercidades (IC), InterRegional (IR) e Urbanos (U). Muita atenção: não confundas os comboios InterRegionais com os Regionais; os comboios InterRegionais são mais rápidos e fazem menos paragens que os Regionais, mas são mais lentos e têm mais paragens que os Intercidades.
  • o Passe Ferroviário Nacional não tem descontos e também não é possível pagar um extra para, por exemplo, também poder usar os comboios InterRegionais;
  • o passe é válido durante o mês para o qual é comprado, isto é, pode ser utilizado entre o dia 1 e último dia desse mês. Podes comprar o passe para um determinado mês a partir do dia 21 do mês anterior e até ao dia 20 do mês pretendido. Exemplo: se quiseres comprar o Passe Ferroviário Nacional para Agosto, podes fazê-lo a partir de dia 21 de Julho e até ao dia 20 de Agosto; a partir de dia 21 de Agosto, podes comprar o passe para Setembro.
  • o Passe Ferroviário Nacional só pode ser comprado presencialmente em bilheteiras da CP. Nesse processo, vai-te ser perguntado o ponto de origem e o destino mais frequente das tuas viagens para fins estatísticos apenas. Nota que com este passe podes viajar em qualquer comboio de serviço Regional e em qualquer percurso e horário.
  • caso desejes um reembolso do passe, podes fazê-lo numa bilheteira antes do dia e mediante o pagamento de uma taxa de 20% do valor do mesmo (9,80 €). Para pedires esse reembolso, precisas de original do talão de carregamento/factura. Depois do início da validade do passe (dia 1), não são aceites pedidos de reembolso.
  • o Passe Ferroviário Nacional não substitui as assinaturas e passes já oferecidos pela CP, que em alguns casos podem ficar mais em conta (por exemplo, para um jovem que apenas faça um pequeno percurso diário de comboio Regional poderá compensar-lhe uma assinatura ao novo Passe Ferroviário Nacional).

Podes saber mais sobre o Passe Ferroviário Nacional aqui, no site da CP.

PUB

Junta-te à Comunidade LPP

A newsletter é o ponto de encontro de quase 3 mil pessoas.