Subscreve e ganha conteúdos exclusivos. Sabe mais aqui.
Procurar
Fechar esta caixa de pesquisa.

GIRA condicionada, estações de Metro fechadas, autocarros alterados: a mobilidade durante a JMJ

Tudo o que precisas de saber sobre os condicionamentos de mobilidade na primeira semana de Agosto, durante a Jornada Mundial da Juventude (JMJ).

Fotografia LPP

Em Lisboa, na primeira semana de Agosto, existirão zonas restrictas à circulação rodoviária, com excepções para residentes e trabalhadores, independentemente de se deslocarem de carro ou de bicicleta. Haverá ainda várias alterações nos transportes públicos da capital e área metropolitana, com estações de Metro e de comboio encerradas, o terminal rodoviário do Marquês de Pombal deslocalizado e alterações nos percursos habituais da Carris.

Se não estiveres de férias, em teletrabalho ou a aproveitar a tolerância de ponto dada pelo Governo aos seus funcionários que trabalham em Lisboa, neste artigo tens tudo a que precisas de saber para a semana da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), entre 1 e 6 de Agosto.

O que muda nos transportes públicos?

Fotografia LPP

Durante a realização da Jornada Mundial da Juventude, existirão várias alterações na operação dos transportes públicos entre os dias 1 e 6 de Agosto. A saber:

  • nos dias 1, 3 e 4 de Agosto, vão estar encerradas as seguintes estações do Metro de Lisboa: Marquês de Pombal, Avenida, Parque e Restauradores. Os comboios das linhas Amarela e Azul vão passar por essas estações sem pararem;
  • nos dias 5 e 6 de Agosto, estarão encerradas as seguintes estações de comboio: Moscavide, Sacavém, Bobadela e Santa Iria. Os comboios suburbanos da CP vão passar por essas estações sem nelas fazerem paragem;
  • de 1 a 6 de Agosto, o terminal rodoviário da Carris Metropolitana será relocalizado para a Rua Marquês Sá da Bandeira, ao lado da Gulbenkian. Isso significa que todas as linhas da Carris Metropolitana que param habitualmente no Marquês de Pombal passarão a fazê-lo nessa localização: 1704, 1716, 1723, 1724, 1725, 1726, 1728, 1730, 1729, 1733, 3704 3709 e 3715;
Nova localização do terminal rodoviário do Marquês de Pombal (via República Portuguesa)
  • entre 31 de Julho e 6 de Agosto, a rua que dá acesso a paragem da estação de comboios de Belém poderá ter o seu acesso condicionado. Sempre que esta situação aconteça, as linhas que servem esta paragem terminarão o seu percurso na paragem Mosteiro dos Jerónimos. São estas as linhas: 1714, 1715 e 1718;
  • de 1 a 6 de Agosto, serão suprimidas ou terão alteração de percurso as carreiras da Carris que “servem as zonas delimitadas pelos perímetros de segurança do evento e as que circulam em zonas de arruamentos muito estreitos, com elevado risco de segurança, devido ao maior fluxo de pessoas nas ruas da cidade”. A saber:
    • De 29 a 6 de Agosto: suspensas todas as Carreiras de Bairro excepto as carreiras 26B (Parque das Nações), 29B (Olivais), 40B (Santa Clara) e 41B (Santa Clara);
    • Dias 1, 3, 4, 5 e 6 de Agosto: suspensas as carreiras 737, 770 e 771, e os eléctricos 12E e 24E;
    • Dias 1, 3 e 4 de Agosto: alterados os percursos das carreiras 702, 706, 709, 711, 712, 713, 716, 720, 723, 726, 727, 728, 732, 735, 736, 738, 742, 744, 746, 748, 753, 759, 760, 774, 781, 782, 783, 794, 15E, 28E, 207 e 208;
    • Dias 05 e 06 de Agosto: alterados os percursos das carreiras 705, 708, 711, 725, 728, 732, 735, 736, 744, 759, 760, 781, 782, 794, 15E, 208 e 210;
    • Nos dias 1, 3, 4, 5 e 6 de Agosto, os elevadores da Bica, da Glória e do Lavra (a cargo da Carris) não estarão a funcionar “por razões de segurança na circulação viária”. O elevador de Santa Justa vai manter-se em funcionamento durante todo a duração do evento.

Podes conhecer os condicionamentos da Carris em maior detalhe aqui.

Carreiras da Carris que serão afectadas com alteração de percurso (via República Portuguesa)

Que reforços vão existir?

A Jornada Mundial da Juventude vai obrigar a reforços na oferta que seria habitual na primeira semana de Agosto, que, por ser período de Verão, fora do ano lectivo, teria menos circulações. Estão previstos reforços nos autocarros da Carris e Carris Metropolitana, nos comboios da CP e da Fertagus, nos barcos da TTSL e no serviço do Metro de Lisboa e do MTS. No total dos vários modos, estão a ser preparadas mais 1623 circulações nos dias úteis (+5%) e mais 5260 circulações no fim-de-semana de 5 e 6 de Agosto (+29%), correspondendo a mais 354 lugares nos dias úteis (+7%) e mais 780 no referido fim-de-semana (+26%).

Reforços na circulação de transportes públicos (via República Portuguesa)

De acordo com o Governo, as supressões previstas na Carris, devido aos perímetros de segurança, “libertarão meios que serão muito necessários no reforço de outros serviços com mais procurados que serão realizados com reforços da oferta, com aumento de número de circulações”. Irão também ser realizados shuttles rodoviários com “dezenas de autocarros” da Carris e da Carris Metropolitana para o transporte dos voluntários do evento.

As linhas da Carris Metropolitana que serão reforçadas estão detalhadas aqui – no fundo, passarão a funcionar em horário de período escolar. São as seguintes: 1501, 1704, 1707, 1709, 1715, 1716, 1718, 1721, 1722, 1723, 1724, 1729, 1733, 2023, 2029, 2034, 2201, 2202, 2203, 2205, 2206, 2207, 2209, 2215, 2217, 2218, 2219, 2220, 2223, 2225, 2512, 2515, 2521, 2610, 2632, 2706, 2708, 2713, 2714, 2715, 2717, 2724, 2725, 2726, 2736, 2740, 2752, 2754, 2756, 2765, 2776, 2785, 3703, 3704, 3709, 3715, 3721, 4701, 4702, 4703, 4704, 4705, 4707, 4720.

Podes saber mais neste documento do Governo:

As zonas restrictas

A Câmara de Lisboa estabeleceu, em conjunto com as autoridades policiais, zonas de restrição à circulação rodoviária em três partes da cidade: no núcleo central, entre o Parque Eduardo VII e a Baixa (em vigor nos dias 1, 3 e 4 de Agosto); no Parque das Nações (em vigor nos dias 5 e 6 de Agosto); e zona ribeirinha de Algés (em vigor no dia 6 de Agosto).

Tudo o que precisas de saber sobre estas zonas:

  • as Zonas Vermelhas serão de “restrição absoluta” à circulação rodoviária, sendo garantida, claro, a entrada e saída de residentes que estejam dentro desse perímetro. Nas Zonas Amarelas, existirão menos restrições mas alguns condicionamentos, não podendo circular veículos que tenham como destino aquela área. Nas Zonas Verdes vai ser possível a circulação livre, mas, “por motivos de congestionamento e circulação pedonal mais intensa, em determinados períodos do dia, poderá haver cortes pontuais”;
  • não existirão bloqueios físicos, sendo as restrições coordenadas no terreno pelas autoridades policiais. A Câmara de Lisboa diz ao LPP que este plano é dinâmico e que poderá ser ajustado no terreno, caso a caso, se necessário, competindo essa avaliação às autoridades também;
  • nas Zonas Amarelas, está garantida a circulação a residentes e a trabalhadores com declaração da entidade patronal, independentemente do seu veículo (pelo que bicicletas e trotinetas próprias poderão circular). Está também garantida a circulação de veículos de cargas e descargas (da meia noite às 7 horas, de uma forma geral), a pessoas com avenças nos parques de estacionamento públicos, a táxis e TVDEs, aos transportes públicos (Carris e Carris Metropolitana) e aos veículos turísticos tuk-tuks;
  • a mobilidade pedonal está garantida em toda a cidade, sem restrições.
Zonas restritas no núcleo central da cidade de Lisboa (via CML)
Zonas restritas no Parque das Nações (via CML)
Zonas restritas em Algés (via CML)

Os maiores condicionamentos vão acontecer no eixo entre o Marquês de Pombal e a Baixa nos dias 1, 3 e 4 de Agosto (terça, quinta e sexta), não se prevendo restrições no dia 2 (quarta). No Parque das Nações e em Algés os perímetros só se aplicam no fim-de-semana. Por isso, importa olhar com um pouco mais de detalhes para o referido eixo.

  • a Zona Vermelha é definida em torno do Parque Eduardo VII pela Rua Castilho, Rua Joaquim António de Aguiar, Rua Marquês da Fronteira, Avenida António Augusto de Aguiar e Avenida Fontes Pereira de Melo; envolve a rotunda interna do Marquês de Pombal (não a rotunda externa) e as vias centrais da Avenida da Liberdade (não as lateriais), os Restauradores e o Rossio, a malha pombalina da Baixa (entre a Rua da Prata e a Rua Nova do Almada) e estende-se até ao rio, abrangendo a Ribeira das Naus, o Campo das Cebolas e a Praça do Comércio, não chegando ao Cais do Sodré;
  • a Zona Amarela já inclui a frente ribeirinha entre o Cais do Sodré e Santa Apolónia, e também o Príncipe Real e o Largo do Rato, uma área mais alargada em torno do Parque Eduardo VII (do lado de Campolide, o perímetro vai até à Rua de Campolide, Avenida Calouste Gulbenkian e Praça de Espanha; do lado das Avenidas Novas, vai até à Avenida de Berna e à Avenida da República; do lado de Arroios, estende-se até à Estefânia), e ainda toda a zona do Martim Moniz, da Mouraria e do Largo da Graça até Santa Apolónia.
As Zonas Vermelha e Amarela no Parque Eduardo VII (via CML)

Todas as informações sobre estas restrições podem ser consultadas em detalha nesta página no site da Câmara de Lisboa, ou no documento seguinte:

As autarquias de Loures e de Cascais também apresentaram planos de mobilidade, que podes consultar em detalhe aqui em baixo:

E as bicicletas?

Fotografia LPP

A Câmara de Lisboa prepara-se para condicionar o serviço público de bicicletas partilhadas, a GIRA, durante a semana da Jornada Mundial da Juventude, entre 1 e 6 de Agosto. Assim, as várias estações GIRA que estiverem dentro das Zonas Vermelha e Amarela deverão estar desactivadas enquanto esses perímetros estiveram activos. Também não existirão bicicletas e trotinetas de operadores privados no território restricto.

No entanto, estas restrições não se aplicam às bicicletas e trotinetas próprias de pessoas que vivam, trabalham ou utilizem a cidade de Lisboa, conforme esclareceu fonte da autarquia ao LPP. Residentes e trabalhadores poderão circular de bicicleta em Zonas Amarelas, tal como podem fazê-lo de carro ou de mota. No entanto, o plano da Câmara é dinâmico e as autoridades policiais poderão, no terreno, colocar condicionamentos temporários no caso de, por exemplo, se verificarem grandes aglomerações de pessoas a circular a pé.

Mapa das estações GIRA que estarão desactivadas (via EMEL)

Segundo a EMEL, “o serviço GIRA vai estar condicionado no período da JMJ nas zonas vermelha e amarela, nomeadamente com a desativação de estações GIRA e inibição de circulação de bicicletas. No Eixo Central na área compreendida entre o Saldanha e Terreiro do Paço este condicionamento ocorre entre os dias 30 de Julho e 6 de Agosto. No Parque das Nações entre 3 e 6 de Agosto. A venda de passes Anuais, Mensais e Diários vão ser suspensos entre 30 de julho e 6 de Agosto. A GIRA voltará a funcionar sem restrições a partir do dia 7 de Agosto”. Mais informações podem ser consultadas aqui.

A questão das bicicletas foi prevista no plano da autarquia, mas terá passado ao lado do plano organizado pelo Governo, omisso em relação a uma forma de deslocação que tem vindo a crescer na cidade de Lisboa. Aliás, no evento de apresentação desse plano, que decorreu nesta sexta-feira, um jornalista do Público questionou os responsáveis do Governo sobre o impacto na mobilidade ciclável, descrevendo um silêncio de surpresa com a sua pergunta:

Questionado pelo Público sobre a possibilidade de utilização de bicicletas e trotinetas na zona com mobilidade condicionado – uma questão que suscitou dúvidas desde que foi conhecido, esta semana, o plano de mobilidade desenhado pela Câmara de Lisboa -, Sá Fernandes fez um compasso de espera, olhou para Isabel Pimenta e para Paulo Vizeu Pinheiro, mas foi Magina da Silva, director nacional da PSP, quem se levantou para responder. “Na zona amarela, com restrições de circulação, apenas poderão circular moradores e trabalhadores, e para tal terão que ter um salvo-conduto”. Vizeu Pinheiro ainda reforçou que “se trata de uma questão de segurança”, lembrando que é impossível ter tanta gente a andar de trotineta e de bicicleta no mesmo local. “São muito rápidas, podem ter um efeito perturbador”, disse.

– Samuel Alemão, no jornal Público

Paulo Vizeu Pinheiro, secretário-geral do Sistema de Segurança Interna, considerou que as bicicletas e trotinetas “são muito rápidas, podem ter um efeito perturbador” e que, por isso, é impossível ter tanta gente a andar de trotineta e de bicicleta no mesmo local. No mesmo dia destas declarações de Vizeu Pinheiro, ficou a saber-se que Portugal é o país da Europa Ocidental com mais mortes de peões por milhão de habitantes devido a atropolementos por automóveis. Nos últimos cinco anos cerca de 25 mil peões foram atropelados no nosso país; a grande maioria sofreu ferimentos ligeiros, mas 527 morreram, o que significa que, em média, a cada três dias há uma vítima mortal por atropelamento, segundo dados da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) pedidos pelo jornal Expresso.

Onde posso encontrar mais info?


Actualização às 10h00 de 24/07/2023: adicionadas informações sobre as carreiras alteradas/suspensas da Carris e da Carris Metropolitana.

Actualização às 15h20 de 27/07/2023: adicionadas mais informações sobre a Carris e sobre a GIRA, bem como sobre outros municípios da amL.

PUB

Junta-te à Comunidade LPP

A newsletter é o ponto de encontro de quase 3 mil pessoas.