Subscreve ou faz donativo. Clica aqui.
Procurar
Fechar esta caixa de pesquisa.

Patrícia Mafra ilustrou a GIRA e a cidade de Lisboa, assim…

Inspirada pelos tons verdes do Vale do Silêncio, pelo lilás da Primavera de Lisboa e pelas gaivotas da frente ribeirinha, Patrícia Mafra ilustrou a cidade onde cresceu e que tem agora novos habitantes: as bicicletas GIRA.

Patrícia ilustrou um póster sobre a GIRA a convite do LPP (fotografia LPP)

Foi perto do Vale do Silêncio que cresceu, acostumando-se a contemplar os tons verdes que caracterizam não apenas o parque, mas todo o bairro dos Olivais. Naquela época, em meados dos anos 1990, havia bem menos bicicletas em Lisboa do que vemos hoje. Para Patrícia Mafra, ilustradora de 37 anos, a diferença entre a cidade de então e a actual é assinalável, refletindo-se não apenas na quantidade de bicicletas – sobretudo GIRAs – que se vêem a circular, mas também na infraestrutura urbana e na forma como as pessoas interagem com os espaços públicos. “Agora vemos muito mais pessoas a usar aqui o parque do Vale do Silêncio”, diz. “E estou sempre a ver bicicletas a passarem.”

Hoje em dia, os Olivais significam para Patrícia uma visita à casa dos pais. Que, enquanto esteve fora na Alemanha, onde se estabeleceu profissionalmente – primeiro como designer de produto e depois como ilustradora –, eram menos frequentes do que agora, que acabou de regressar a Portugal. “O Vale do Silêncio é o maior espaço verde que tenho aqui perto da casa dos meus pais. Tem estes tons verdes muito carregados das árvores, muitas flores, muitas cores”, diz. Todas estas referências foram, para Patrícia, fonte de inspiração para uma ilustração que, a convite do LPP, fez dedicada às bicicletas GIRA e a essa nova forma de mobilidade sustentável em Lisboa. Uma ilustração que pode ser adquirida, em formato de póster A4, juntamente com a 2ª edição do Jornal LPP.

Patrícia Mafra e o póster (fotografia LPP)

“Utilizei várias referências. Não só aqui o verde do Vale do Silêncio, também desenhei ali bocado a zona mais ribeirinha e aquela paisagem do castelo, com as casinhas como as de Alfama. Tenho ali também tipo eléctrico a subir. Também o usei o lilás, uma cor mais primaveril e que costuma pintar a cidade nesta altura do ano”, conta. “É assim uma Lisboa meio inventada com várias coisas que eu reconheço da cidade.” Até porque, explica Patrícia, as bicicletas GIRA estão pela cidade fora. “Dá assim aquela ideia de que se pode andar pela cidade, ter uma mobilidade pela cidade toda.”

A ilustração está disponível num póster A4 (DR)

Em toda a ilustração não há figuras humanas, dada a obsessão de Patrícia com gaivotas. “Lembram-me sempre Lisboa. Eu ia muito aqui abaixo, ao Parque das Nações, onde tens sempre umas gaivotas a tentar roubar batatas fritas e a interagir com as pessoas. Para mim, são personagens que fazem parte da cidade. Acho que são um animal muito de cá. Em Berlim, não via gaivotas todos os dias.”

Antes de ser ilustradora, Patrícia Mafra completou uma licenciatura em design industrial, trabalhou como designer, tanto de produto, como de interiores e designer gráfica. Hoje em dia, o seu trabalho é maioritariamente digital mas gosta de explorar diferentes técnicas e materiais numa alegre mistura de cores e formas. “Começo sempre com um esboço a lápis, neste caso utilize o lápis do iPad, a partir de várias referências visuais. É um esboço assim muito cru, rápido, quase irreconhecível. Depois limpo um bocadinho, focando-me mais na forma geral e não nos detalhes”, explica sobre o processo criativo por detrás da criação deste póster. “Isto é quase como um puzzle para mim, de tentar encaixar as referências todas na imagem”, num trabalho que já é feito no computador, mais concretamente no Adobe Illustrator. “Como trabalho muito com formas geométricas e blocos de cor grande, pego no esboço e começo a encaixar as várias peças. Primeiro, uma personagem no plano da frente, depois no fundo começo a compor com zonas mais verdes, as casas da cidade, o castelo…”

De regresso a Portugal, com uma vida dividida entre as Caldas da Rainha, onde se estabeleceu com a família, e Lisboa, onde tem família e amigos, Patrícia considera utilizar a bicicletas nas deslocações citadinas que lhe fizerem sentido. Por agora, é ainda um modo de transporte para o qual olha com alguma desconfiança, porque não foi a ver bicicletas em Lisboa que cresceu na cidade. “A GIRA teria dado muito jeito quando vivia aqui nos Olivais e ia de carro com o meu pai para o Metro, que ficava a 20 minutos da nossa casa”, conta. “Já vi que agora tenho várias estações da GIRA aqui ao pé da casa dos meus pais.” O desejo de Patrícia é que a capital portuguesa possa crescer como a alemã, por exemplo. “Berlim é uma cidade que tem tanta mobilidade… Nunca tive carro lá, nunca precisamos, nunca senti necessidade de ter carro. E é algo que também espero experienciar em Lisboa.”

O póster da Patrícia sobre a GIRA e a cidade de Lisboa está disponível por tempo limitado a 2,50 €, um envio que inclui a oferta da última edição do Jornal LPP.

PUB

Junta-te à Comunidade LPP

A newsletter é o ponto de encontro de quase 3 mil pessoas.