Há uma nova praça na cidade: o Largo do Conde Barão, em Santos

Mais espaço pedonal e menos estacionamento.

Fotografia de Mário Rui André/Lisboa Para Pessoas

Chama-se Largo do Conde Barão e tem a cara lavada resultado do programa Uma Praça Em Cada Bairro. As obras iniciaram-se no início de 2021 e estão agora terminadas, oferecendo a este largo e a um troço da Rua da Boavista mais espaço pedonal, passeios confortáveis, novas árvores e uma diminuição da oferta de estacionamento automóvel. A obra tinha sido apresentada também no âmbito da ZER ABC.

A transformação do Largo do Conde Barão e da respectiva Rua da Boavista não é tão substancial como outras já realizadas no âmbito do Uma Praça Em Cada Bairro, como o Eixo Central ou a Praça de Espanha. No geral, a Rua da Boavista, que é contígua à Rua de São Paulo e que, com esta, liga o Cais do Sodré a Santos, manteve a sua configuração viária. Contudo, no troço intervencionado, foram aplicadas medidas que permitiram estender o largo para lá dos seus limites e dar prioridade ao tráfego pedonal. Uma das mais relevantes prende-se com os cruzamentos da Rua da Boavista com outras ruas: em todos eles, os atravessamentos pedonais foram sobrelevados e calcetados, dando, por um lado, continuidade ao passeio e, por outro, forçando os condutores a abrandarem na velocidade.

Por outro lado, o estacionamento foi revisto: onde era transversal passou a longitudinal, o que resultou na diminuição de lugares e no aumento da área pedonal – alguns comerciantes já aproveitaram para alargar as esplanadas, sem, no entanto, comprometerem a circulação de peões. Só numa parte final da obra, em direcção ao Cais do Sodré, foi mantida a configuração transversal dos lugares de estacionamento, mas aqui o espaço pedonal já era amplo.

No largo propriamente dito, foi colocado novo mobiliário urbano e uma árvore que, na Primavera, deverá dar flor lilás, complementando os tons azuis de toda a praça. O acesso à Rua da Silva, agora fechada ao trânsito, foi mantido – ainda que calcetado – para eventuais cargas e descargas ou para a prestação de socorro. A Travessa do Cais do Tojo, também na zona do largo, foi pedonalizada, aumentando desta forma o espaço pedonal e a dinâmica de praça. Daqui desapareceu, portanto, um pequeno largo que servia apenas para estacionamento.

A intervenção termina, no sentido de Santos, na intersecção da Rua da Boavista com a Avenida Dom Carlos I, que liga a zona da Assembleia da República e do ISEG à Avenida 24 de Julho e para onde está prevista também uma intervenção no âmbito do Uma Praça Em Cada Bairro, que dará uma nova qualidade de espaço público ao Largo da Esperança. Importa referir que a Rua da Boavista e a contígua Rua de São Paulo são sobretudo eixos de circulação de transporte público, sendo, por isso, artérias com pouco tráfego.