Procurar
Fechar esta caixa de pesquisa.

Área Metropolitana de Lisboa integra parceria europeia de “Cidades Verdes”

A Área Metropolitana de Lisboa está a participar na parceria “Cidades Verdes” da Agenda Urbana da União Europeia, centrada em infraestruturas verdes e azuis em contexto urbano.

Fotografia LPP

A Área Metropolitana de Lisboa (AML) é uma das entidades que participa como stakeholder na parceria “Cidades Verdes” da Agenda Urbana da União Europeia, co-coordenando o grupo de trabalho dedicado ao financiamento, juntamente com o município de Utrecht, nos Países Baixos.

“Cidades Verdes” é uma parceria de três anos, centrada em infraestruturas verdes e azuis em contexto urbano, e com amplas ligações a uma série de sectores prioritários, nomeadamente ambiente, transportes sustentáveis, gestão da água e agricultura urbana. A parceria está organizada em quatro grupos de trabalho, cada um centrado num aspecto específico: financiamento; sistemas de indicadores; implementação de infraestruturas verdes/azuis e soluções baseadas na natureza; e metodologias para quantificar a procura por infraestruturas verdes/azuis a nível local.

As infraestruturas verdes e azuis são cada vez mais valorizadas no desenvolvimento urbano, visando equilibrar as necessidades humanas com a preservação do meio ambiente. As infraestruturas verdes referem-se à integração de espaços naturais, como parques, jardins e áreas de vegetação, no espaço urbano, promovendo a biodiversidade, a absorção de poluentes e a redução das ilhas de calor. Por seu lado, as infraestruturas azuis concentram-se na gestão sustentável da água, incorporando elementos como ribeiras, lagos e bacias de retenção no design urbano para mitigar inundações ou proporcionar conforto e lazer. Ambas as abordagens buscam criar ambientes urbanos mais resilientes, proporcionando benefícios tanto para os residentes quanto para o ecossistema urbano, contribuindo para cidades mais sustentáveis e saudáveis.

No território da área metropolitana de Lisboa, são vários os exemplos de infraestruturas verdes e azuis que podemos encontrar – alguns desses casos foram, inclusive, compilados em três livros.

Os resultados da parceria “Cidades Verdes” serão de grande relevância para os problemas e as necessidades das cidades de todas as dimensões, no que diz respeito à preservação da biodiversidade e à adaptação às alterações climáticas. Será desenvolvido um plano de ação que conterá medidas específicas destinadas a acompanhar e ajudar as autoridades urbanas a enfrentar os desafios urbanos.