Jardim da Amnistia Internacional ganhou mais árvores (ainda que algumas aparentem secas)

Localizado em Campolide, o Jardim da Amnistia Internacional foi requalificado com a plantação de novas árvores e a instalação de bancos.

A requalificação do Jardim da Amnistia Internacional, em Campolide, que se iniciou em Abril, está concluída. No eixo central foram abertas novas caldeiras e plantadas árvores, com o intuito de dar mais sombra ao espaço e proporcionar, assim, uma estadia mais confortável.

Algumas dessas árvores, no entanto, aparentam estar secas ou num estado frágil, podendo não ter sobrevivido ao tempo mais quente e seco do Verão.

Além dos novos exemplares arbóreos, foram ainda colocados bancos de jardim ao longo do eixo central, acompanhando as árvores. A intervenção abrangeu ainda um corredor secundário, onde também foi criada nova sombra e instalados mais bancos. De resto, o Jardim da Amnistia Internacional, que integra o Corredor Verde de Monsanto, foi deixado intocado.

Espera-se agora por uma boa manutenção deste jardim, desenhado pelo arquitecto Gonçalo Ribeiro Telles, para permitir o crescimento das árvores e as novas sombras.

O Jardim da Amnistia Internacional tem cerca de 3,3 hectares e foi inaugurado em 2012. Conta com uma área ampla de relvado, uma zona de esplanada com um pequeno auditório e uma área de fitness. Conta com boas acessibilidades a pé ou de bicicleta, estando agora muito próximo do novo Parque Urbano Gonçalo Ribeiro Telles (Praça de Espanha).